Brinquedos para cães! Quais, quando e como usá-los?

Muitos dos problemas comportamentais que vemos atualmente nos cães, estão associados à falta de atividades ou a atividades desadequadas que temos com eles. Os brinquedos têm um poder incrível para estimular um cão fisicamente e mentalmente, e quando usados de forma correta, proporcionam desgaste de energias e acionam neurotransmissores que influenciam o bem estar animal.

Quando falamos em brinquedos para cães, podemos dividi-los em 2 grupos. Os brinquedos interativos e os brinquedos de estimulação mental.

Brinquedos Interativos

São brinquedos que requerem a participação de uma pessoa, para terem um efeito motivador para o cão. Estes brinquedos podem ser divididos em 2 sub-grupos:

  • Brinquedos para atirar (“Fetch Toys”): devem ser usados de forma a incentivar o cão a persegui-los e a devolvê-los (exemplos: Bolas de ténis e “Frisbees”)
     
  • Brinquedos de corda (“Rope Toys”): devem ser usados de forma a incentivar o cão a agarrá-los quando dermos o sinal de “pega” e a larga-los quando dissermos “larga” (exemplos: Cordas, Churros, Argolas)


Os brinquedos interativos proporcionam elevados níveis de excitação no cão, e se do ponto de vista do desgaste de energias, isto é benéfico, do ponto de vista emocional, não é assim tão benéfico, pois fisiologicamente, influenciam altos níveis de adrenalina e consequentemente originam picos de stress.

O meu conselho! Sempre que usar brinquedos interativos com o seu cão, faça pausas frequentes durante a atividade, por exemplo, brinque 3 minutos e depois peça ao cão para relaxar 2 minutos, reinicie mais 3 minutos de interação e volta a quebrar a atividade com 2 minutos de relaxamento. 15 minutos/sessão é mais que suficiente (9 minutos a brincar e 6 minutos de intervalos). As pausas de relaxamento são muito importantes para influenciarmos uma homeostase corporal no cão, ao invés de incentivarmos 15 minutos de excitação e picos de stress.

Brinquedos de estimulação mental

São brinquedos que não requerem a participação ativa de terceiros e ao contrário dos brinquedos interativos, estes brinquedos não geram grande excitação e são fantásticos para baixarmos/prevenirmos fluxos de stress num cão. Utilizados convenientemente proporcionam diversão e estimulação ao cão, mesmo estando sozinhos, e daí serem uma ferramenta a ter em consideração num protocolo para ansiedade por separação/isolação. Estes brinquedos são interessantes e criam motivação no cão, por serem recheados com comida, e ao contrário daquilo que muitos pensam, os brinquedos de estimulação mental proporcionam desgaste de muitas energias.

Exemplos de brinquedos de estimulação mental: Kong (mundialmente, o mais conhecido e um dos que mais aconselho); Cubos de ração; Bolas de ração; Pirâmides de ração; “Twist N Treat”, entre outros.

O meu conselho! Escolha brinquedos de qualidade, apropriados ao porte e fisionomia do seu cão. Na altura de os preparar adapte o grau de dificuldade mediante a experiência do seu cão. É importante mencionar que níveis de dificuldade impróprios, podem gerar frustração e consequentemente stress.

Conselhos adicionais
 

  • Nunca deixe os brinquedos à livre disposição do seu cão. Os brinquedos interativos, apenas devem ser usados quando estiver a interagir com o seu cão e assim que terminar a atividade, guarde os brinquedos. Os brinquedos de estimulação mental, podem e devem ser deixados com o cão enquanto ele estiver interessado e entretido com os mesmos (regra geral, enquanto existir comida no interior, despertam interesse no cão) e assim que o interesse deixar de existir, guarde o brinquedo. O intuito de usarmos os brinquedos nos momentos chave, aumenta a motivação e interesse do cão sobre o brinquedo. Se os brinquedos estiverem espalhados por casa e o cão tiver acesso a eles, sempre que lhe apetecer, o recurso (brinquedo) deixa de ter um valor significativo
     
  • Se tiver vários brinquedos, vá variando o uso dos mesmos com o seu cão
     
  • Use os brinquedos interativos para jogos de busca. Por exemplo, esconda a bola de ténis e peça ao seu cão para a encontrar (estimulação mental).
     
  • Se vir que um dos brinquedos não se encontra nas melhores condições, substitua-o de imediato, desta forma previne que o seu cão ingira um pedaço ou se corte com o mesmo.
     
  • Faça sessões curtas mas produtivas. Levar um cão à exaustão não é sinónimo de missão cumprida.
     

Brincar com os cães, são atividades divertidas , essenciais para o bem estar animal e fortalecem o vínculo tutor/cão.
 

Divirta-se com o seu cão!