Ensinar um cachorro a fazer as necessidades no sítio certo

Um dos maiores problemas que os tutores encontram, assim que trazem um cachorro para casa, está associado às necessidades que o animal faz em locais não indicados para esse efeito. Este é daqueles episódios que levam a família ao desespero, e por vezes são a origem de conflitos para com o cachorro, e por consequência o animal começa a sentir-se inseguro com a família humana, devido aos castigos aos quais está a ser sujeito.

É importante termos em consideração que, os cães não nascem com o “conhecimento” inato que lhes permita descobrir, qual o local apropriado para fazerem as necessidades. Enquanto tutores, temos a obrigação de os ensinar a urinar e a defecar no sítio certo desde o primeiro momento em que chegam à nossa casa. Quanto mais cedo iniciarmos esse treino, maiores serão as probabilidades de sucesso e menores serão as probabilidades do cachorro criar maus hábitos. A chave deste treino consiste em; primeiro, estipular onde queremos que o cachorro faça as necessidades; e segundo, prevenir descuidos em casa.   

A escolha do local, onde pretende que o cachorro faça as necessidades não deve ficar longe da residência, sendo assim, opte por um pequeno jardim que se localize nas proximidades da porta de entrada da sua habitação e defina-o como a “casa de banho” do seu cachorro.

Existem determinados momentos, em que os cachorros costumam fazer as necessidades, sendo assim, aconselho que leve o seu cachorro à “casa de banho”, antes de ir dormir e imediatamente após: as refeições; beber muita água; uma sessão de treino; uma sessão de brincadeira; uma sesta; assim que este acorde de manhã; após estar no confinamento a curto prazo (vou abordar este assunto mais abaixo).

Das primeira vezes pode demorar o seu tempo, pois o cachorro ainda não tem qualquer associação a esse local. Leve-o de trela, deixe-o cheirar o espaço, e assim que o cachorro fizer as necessidades recompense-o efusivamente com petiscos que ele adore e elogios verbais. Não poupe nas recompensas e lembre-se que, quanto maior o valor do reforço, mais rápido será o condicionamento e respectivo processo de aprendizagem. O objetivo é o cão perceber que, fazer as necessidades naquele sitio resulta em recompensas, logo esse comportamento vai-se tornando frequente, visto que comportamentos reforçados têm tendência a repetir-se no futuro.

O que fazer quando não está ninguém em casa e não conseguimos supervisionar o cachorro?

Nestas alturas é essencial recorrer ao confinamento. Se a ausência dos tutores for de curta duração (nunca mais de 1 hora e meia) usem um confinamento de curto prazo, se a ausência for prolongada, usem um confinamento a longo prazo. Qualquer um destes confinamentos exige uma dessensibilização prévia, de forma a que o cachorro se sinta confortável e seguro nestes espaços.

Confinamento a curto prazo

Para este efeito aconselho a caixa-transportadora ou “crate” (caixa metálica). Os cães não gostam de fazer as necessidades no espaço onde dormem, sendo assim, este confinamento inibe-os de urinar e defecar, uma vez que querem manter o espaço limpo, e desta forma aprendem a controlar a bexiga. A transportadora deve ter o tamanho suficiente de forma a que o cachorro consiga levantar-se e dar a volta no seu interior, mas não é aconselhável que seja de grandes dimensões, para evitar que o cachorro faça as necessidades num dos cantos. Dentro deste confinamento deve ser colocado uma manta confortável e brinquedos (preferencialmente brinquedos para morder e de estimulação mental). Assim que chegar a casa, retire o cachorro do confinamento e leve-o logo à “casa de banho”, para este fazer as necessidades. Não se esqueça de o recompensar efusivamente após este urinar ou defecar.

 

Confinamento a longo prazo

Este tipo de confinamento é crucial para cães que passam muito tempo sozinhos. Defina uma zona na casa, no qual possa colocar um parque (foto), que limite o acesso a outros espaços. Este confinamento deve ser composto por: a cama do cachorro, um recipiente com água, brinquedos de estimulação mental, os brinquedos habituais e uma casa de banho (caixa com o resguardo, um pedaço de relva ou uma superfície absorvente). A cama e o recipiente com água devem ficar do lado oposto à “casa de banho” improvisada, desta forma o cão poderá manter a zona de descanso limpa (um comportamento que prevalece no instinto natural dos cães) e irá fazer as necessidades na extremidade oposta.

Os confinamentos devem ser vitalícios?

Não! Os confinamentos são uma mais valia para ensinar o cachorro a fazer as necessidades no sitio certo e a ficar entretido com os seus brinquedos, enquanto os tutores estão ausentes. Assim que o cachorro tiver aprendido a fazer as necessidades na “casa de banho”, podem dar-lhe total liberdade para circular pela casa.

O que fazer quando ocorrerem descuidos?

Se ocorrerem descuidos é porque o plano acima descrito não está a ser aplicado, pois permitiram que o cachorro anda-se pela casa com a bexiga cheia. De qualquer das formas, estes acidentes podem acontecer, mas em nenhuma das ocasiões deve repreender ou castigar o cachorro! Se assim o fizer, vai provocar um problema bem mais grave. O cachorro pode aprender que fazer as necessidades na presença do tutor resulta em castigo, logo este vai fazê-las sempre que o tutor estiver ausente, o que vai impossibilitá-lo de recompensa-lo quando fizer no sítio certo. Para além disso, o cachorro pode não associar o castigo às necessidades, e isso pode dar origem a um cachorro medroso, com medo dos tutores e das suas próprias ações. Posso garantir que, se do seu ponto de vista, as necessidades em locais impróprios é um problema, ter um cachorro com medos será um problema bem mais GRAVE! Evite esta situação a todo custo.

Se o apanhar em flagrante, a fazer as necessidades num local errado, pegue nele calmamente, e leve-o à “casa de banho”, se ele ainda fizer alguma coisa recompense-o. Após o incidente (necessidades no local errado), limpe a zona com uma mistura de vinagre branco e água. Não use detergentes normais, visto que estes não eliminam o cheiro na perspectiva do cão. Os cães têm alguma tendência em urinar sempre no mesmo local, dado o odor que aí reside, daí a importância de limpar bem essa zona.

Erro comum, neste tipo de treino!

Muitos tutores cometem o erro de levar o cachorro à rua para fazer as necessidades, e assim que este as faz, voltam para casa. Desta forma, em pouco tempo, o cachorro vai aprender que fazer as necessidades na rua, resulta no fim do passeio, e consequentemente, este vai adiar ou até mesmo evitar fazer as necessidades durante o percurso, para prolongar o passeio ao máximo. Um treino eficaz, consiste em fazer precisamente o oposto, ou seja, assim que saírem de casa, levem logo o cachorro à “casa de banho” e assim que este fizer as necessidades iniciem um longo passeio. Assim sendo, o cachorro vai aprender que quanto mais rápido fizer as necessidades mais rapidamente terá acesso a um bom passeio.

Ensinar um cachorro a fazer as necessidades no sítio certo, é um processo relativamente fácil, mas exige muita paciência e supervisão por parte dos tutores. Como tal, previna descuidos e recompense sempre que o cachorro fizer as necessidades no local desejado. Durante as próximas semanas, dedique-se a 100% e rapidamente terá o seu cão a fazer as necessidades no local, por si escolhido.