Sociabilização VS Vacinação

Sociabilização

Um dos grandes dilemas que os donos de cachorros têm hoje em dia é a problemática da sociabilização durante o período vacinal, altura em que o cachorrinho corre mais riscos de contrair doenças.

Assim, os donos têm por um lado a maioria dos veterinários a aconselhar que os seus cachorros sejam mantidos em casa até o plano vacinal estar completo e por outro lado veterinários da área de comportamento e treinadores a enfatizar a importância de sociabilizar os cachorros e expô-los ao mundo nesta altura, de forma a que tenham todas as oportunidades para crescerem e se tornarem adultos equilibrados. Muitos donos sentem um sentimento de culpa e confusão, pois ficam com a sensação que precisam de optar entre saúde física ou saúde mental do seu novo amigo.

A boa noticia é que existe um meio termo, ou seja, uma forma de dar aos cachorros uma excelente sociabilização, sem riscos acrescidos à sua saúde.

O primeiro passo é iniciar um bom plano de vacinação, que garanta ao cachorro o máximo de proteção, o mais precocemente possível. Este plano deve ser discutido abertamente com o veterinário e deve ser feito de acordo com a idade do cachorro, local de residência e risco de exposição a agentes patogénicos de cada caso.

O segundo passo é planear a sociabilização com segurança. Podemos levar o nosso cachorro ao café e não o colocar no chão, por exemplo. Assim, ele vive todas as experiências essenciais, mas sem contactar com possíveis agentes patogénicos que estejam no chão onde passam muitos cães com estado sanitário desconhecido. O mesmo se aplica às idas ao parque, ao jogo de futebol do filho mais novo e até mesmo à sala de estar do veterinário! As brincadeiras no chão podem ser deixadas para a nossa casa ou para outros locais livres de doenças contagiosas, como a casa dos avós ou daquele amigo que tem um cão saudável e vacinado.

Um outro componente da sociabilização é o contacto com outros cães. O cão mais velho lá de casa não vai ser suficiente! No entanto com cães desconhecidos vem o risco de doenças... Então como fazer? Aproveitamos o tal amigo que tem um cão saudável, simpático e devidamente vacinado, com o qual o cachorro pode brincar sem riscos acrescidos. Aqueles cães lá da rua, que até parecem saudáveis, mas que não temos a certeza se estão vacinados, são potenciais amigos que o cachorro poderá fazer quando o plano vacinal estiver terminado. Nesta fase ficam ao longe!

Outra excelente opção de sociabilização são as aulas para cachorros. Estas aulas permitem o contacto e brincadeira com outros cachorros e pessoas, com a vantagem que tudo é feito sob o olhar atento do treinador. No entanto é preciso garantir que optamos por um bom treinador. O treinador deve perguntar pelo estado vacinal do cachorro e as aulas devem ser dadas num espaço claramente limpo e desinfectado, resguardado de possíveis cães contaminados com doenças. A interação deve ser calma e cuidadosa, de forma a que o cachorro tenha o máximo de experiências positivas nesta fase tão crítica da sua vida, para crescer e tornar-se um adulto calmo e confiante nas mais variadas situações.

Sociabilizar os cachorros durante o período vacinal? Claro que sim, mas seguindo sempre regras básicas de higiene e saúde, para evitarmos riscos acrescidos de contração de doenças!

Artigo da autoria da Dr.ª Teresa Umbelino, Médica veterinária, especialista em comportamento de cães