O treino baseado em reforço positivo vicia os cães em reforços?

As pessoas que não concordam com a filosofia do treino baseado em reforço positivo, costumam usar este comentário. Querem saber a minha opinião sobre o mesmo? Concordo a 100‰ com estas pessoas. É verdade! Os cães que são treinados com técnicas de reforço positivo, ficam mesmo viciados nos reforços, e isto é o que torna a situação fantástica.

Em tudo o que fazemos na vida, a motivação, é o que nos leva à dedicação. As pessoas que trabalham diariamente, são motivadas pelo salário que recebem no final do mês; as pessoas que se aplicam nos estudos, são motivadas pelas boas notas que tiram; as pessoas que fazem exercício físico, são motivados pela saúde e pela forma corporal que apresentam. Porque é que os cães deveriam ser diferentes?

Se tenho a possibilidade de motivar os cães e fazer com que colaborem no treino de forma entusiasmada, porquê não aproveitar esse aspeto? Todos os dias tenho que alimentar, passear e brincar com os meus cães; comida, brincadeira e interagir com o meio ambiente, são atividades que os motivam e fazem parte das minhas obrigações para com eles. Já que tenho esse dever, faz todo sentido para mim, aproveitar esses momentos para inserir o treino deles.

Alimentação: aproveito este momento para os estimular mentalmente, para ensinar exercícios novos, ou para solidificar os exercícios que já estão no seu repertório.

Brincadeira: é uma atividade que só faz sentido se existir motivação e colaboração. É tão fácil inserirmos o treino nesta interação.
“Big senta, BOA, vai buscar a bola. Traz a bola, larga, BOA, vai buscá-la outra vez”. Nesta sequência, consigo reforçar o senta, o trazer de volta e o larga, usando uma bola de ténis (no caso de cães que sejam motivados por bolas)

Passeios: é uma oportunidade para o cão socializar, desgastar energias e explorar o ambiente. Também aqui podemos incorporar o treino de uma forma inteligente, “Big senta, BOA (abro a porta) vamos passear“ “Big caminha calmamente, BOA, vai lá explorar aquele jardim” “Big deita, BOA, podes ir ter com aquele cão”

Como veem, podemos usar várias oportunidades para reforçar comportamentos nos nossos cães. Desta forma os cães aprendem a focar-se em nós e a responder ao que lhes pedimos, porque aprenderam que dessa forma têm acesso ao que os motiva. 

A grande virtude no treino positivo é conhecer as motivações (não apenas comida) de cada cão, e fazer uso dessas motivações para obter o foco e a colaboração dele. “Eu dou-te o que tu queres, se primeiro me deres o que eu quero” – Princípio de Premack (http://patrickrocha.pt/post/principio-de-premack)

Se tenho a possibilidade e a facilidade de usar o treino positivo nos mais diversos contextos e desta forma fazer com que o cão sinta prazer, motivação e confiança nas minhas ações, para quê, recorrer a punições e castigos para gerar stress, medo, dor e desconfiança no cão.

Se eu fosse “cão”, tenho a certeza que seria bem mais feliz se fosse treinado com técnicas de reforço positivo, ao invés de ser treinado com métodos aversivos. E você?